15 de dezembro de 2017
Seja o primeiro a comentar

Um novo significado para colaborações

Imagem: Reprodução www.fondationlouisvuitton.fr

Dois museus se reunem para discutir o significado do moderno em parceria inédita

Quando falamos sobre economia criativa, o desafio para as novas gerações é encontrar maneiras de trabalhar que sejam inovadoras e engajem com os sistemas existentes, buscando a transformação e inovação.

Em Paris, uma exposição em exibição na Fondation Louis Vuitton dá expressão para a economia criativa através de uma collab entre museus.

A Fondation Louis Vuitton cria uma mostra em colaboração com o MoMa, o museu de arte moderna de Nova Iorque, abordando o conceito da modernidade desde a abertura do museu norte-americano, em 1929.

Dividida em três partes, a expo começa com o moderno na era pré-guerra, dos anos 30 à meados dos anos 40, com uma curadoria que vai de mestres de Cezanne à Pollock, artistas que desafiaram as normas de seu tempo e mudaram a arte co-criando suas próprias vertentes de arte com artistas de suas gerações.

Na sequência, o pop-art e minimalismo dos anos 60 demonstram a era onde a sociedade capitalista entra na cena de arte e o cotidiano se transforma em obras extraordinárias que são consideradas modernas até os dias de hoje.

Na última parte da exposição, obras atuais multimídia mostram como a tecnologia vem sendo usada para questionar e transformar a arte.

São mais de 200 obras espalhadas por todo o edifício de Frank Ghery. Entre os artistas, Andy Warhol, Frida Khalo, Jackson Pollock, Barbara Kruger, Philip Guston, Felix Gonzalez-Torres, Carl Andre, Christopher Wool e Romare Bearden.

Being Modern: MoMA in Paris
Fondation Louis Vuitton
8 Avenue du Mahatma Gandhi, 75116 Paris, France
Até 05 de Março de 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *