7 de agosto de 2018
Seja o primeiro a comentar

Coloque o “bloco na rua” e teste sua ideia de negócio

Prepare um protótipo do seu produto ou serviço com o que tem mãos e não perca tempo de “colocar o bloco na rua”.

Foto por Daniel Cheung no Unsplash.

Por Dario Vedana

Como apresentar uma solução se ainda ela não está pronta, acabada e perfeita como imaginamos nos primeiros insights que tivemos? Tom Peters, especialista em administração de empresas, tem um pensamento interessante sobre agilidade no processo de criação de negócios: “Teste rápido, falhe rápido e ajuste rápido”. Mas como testar rápido uma possível solução para um problema, um novo produto ou serviço, ou mesmo uma arte que você desenvolveu?

É aqui que entra o conceito de MVP – Minimum Viable Product, ou seja, um produto mínimo viável, apresentado por Eric Ries no livro a Startup Enxuta. “Um produto mínimo viável ajuda os empreendedores a começar o processo de aprendizagem o mais rápido possível. No entanto, não é necessariamente o menor produto imaginável; trata-se apenas, da maneira mais rápida de percorrer o ciclo construir-medir-aprender de feedback com o menor esforço possível.” (RIES, 2012, pág. 85).

Em sala de aula, costumo dizer aos estudantes para preparar um protótipo, que pode ser uma pesquisa, um esboço, um desenho, ou mesmo o produto ou serviço em fase de testes, com o que tem em mãos e não perder tempo de “colocar o bloco na rua”. Isso significa ter algo para apresentar às pessoas próximas na universidade, no trabalho, na família, nas redes sociais, ou a potenciais clientes em eventos, feiras, onde seu público-alvo está.

Aqui muitos podem afirmar: mas se eu apresentar a minha ideia sem patentear alguém pode roubá-la de mim e copiar. Sim, é possível que isso aconteça. No entanto, uma ideia sem execução não passa de uma ideia e o ganho que você vai ter em ouvir pessoas próximas, especialistas e potenciais clientes vai lapidar a sua ideia e o conjunto de tudo isso pode gerar uma nova solução, produto ou serviço nunca vistos. É uma questão de escolha: guardar a ideia para você e correr o risco de ela nunca estar pronta para ser lançada ou apresentá-la ao mundo, ser visto e lembrado, abrir horizontes, construir pontes e atrair interessados na sua causa e potenciais apreciadores, compradores e investidores.

Como construir um MVP?

Hipoteticamente, imagine que o problema que você pretende resolver é cortar grama. Para desenhar uma solução por onde você começa? Pare e pense um pouco….

Construindo um carro elétrico em que corta grama sentado? Claro que não! Você vai no que é elementar: um tesourão! (MVP1). E, à medida que vai desenvolvendo sua ideia, obtendo recursos e experiência com os usuários, vai ajustando e aprimorando seu MVP. A imagem a seguir ilustra bem esta reflexão.

plano de evolução do produto baseado em MVP

Fonte da imagem: http://www.caroli.org/produto-viavel-minimo-mvp/

Prof. Me. Dario Vedana
Coordenador do Núcleo de Empreendedorismo e Inovação Belas Artes
Professor de Empreendedorismo e Inovação da Belas Artes

Conheça o Núcleo de Empreendedorismo e Inovação Belas Artes: http://belasartes.br/nei

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *